Em busca da Ecotopia...

Cobertura mistura arquitetura e biologia para produzir oxigênio

Publicado por focs em 15/09/2015 às 11h29

 

Com o nome de Urban Algae Canopy, o escritório ecoLogic Studio desenvolveu uma peça de arquitectura bio-digital que combina cultura de microalgas e protocolos de cultivo digital em tempo real. Em exposição na Expo Milão 2015, a estrutura é capaz de controlar o fluxo de energia, água e dióxido de carbono baseado em padrões climáticos, no movimento dos visitantes e outras variáveis ​​ambientais. É a primeira de seu tipo no mundo, e uma vez totalmente concluída, a cobertura será capaz de produzir oxigênio equivalente a quatro hectares de floresta, junto com quase 150kg de biomassa por dia.

 

 

 

 

Parte do projeto Distrito Comida do Futuro, com curadoria de Carlo Ratti Associati, o Urban Algae Canopy é o fruto de seis anos de pesquisa. Um sistema customizado de fechamento em ETFE, constituído por três camadas e concebido com a ajuda da empresa Taiyo - a mesma que forneceu cobertura para diversos estádios da Copa aqui no Brasil, melhora as propriedades já excepcionais das microalgas. Tecnologia de solda especial CNC, por outro lado, possibilitou ao ecoLogic Studio alterar a morfologia da copa e controlar o comportamento dinâmico da água que flui através da estrutura e alimenta os organismos vivos.

The Urban Algae Canopy by ecoLogic Studio is a piece of bio-digital architecture that combines micro-algal cultures and real time digital cultivation protocols. To be displayed at Expo Milano 2015, the structure is able to control the flow of energy,

Esta interseção entre a tecnologia e biologia significa que, quando o sol brilha de forma mais intensa, as algas fazem fotossíntese e crescem, reduzindo a transparência da copa e fornecendo mais sombra. A utilização das microalgas torna a cobertura inerentemente responsiva, o que significa que os visitantes serão capazes de influenciar o comportamento da estrutura em tempo real. A todo instante, a transparência, cor e sombreamento da cobertura será o resultado das inter-relações entre a temperatura, visitantes, microalgas e os sistemas de controle digital.

"Agora é hora de superar a separação entre tecnologia e natureza - típica da era mecânica, para abraçar uma compreensão sistêmica da arquitetura", conclui Claudia Pasquero de ecoLogicStudio. "Neste protótipo, as fronteiras entre as dimensões material, espacial e tecnológica foram cuidadosamente articuladas para alcançar eficiência, resiliência e beleza."

Fonte: Inhabitat

 

Categoria: Arquitetura e Construção, Materiais, Tecnologia e Inovação
Tags: arquitetura, inovação

voltar para Em busca da Ecotopia...

left show tsN fwR|left tsN uppercase fsN fwB|show fsN uppercase right fwB|bnull|||login news normalcase c10|fsN fwR c10 normalcase|normalcase c10|news login fwR c10 normalcase|tsN fwR c10 normalcase|fwR normalcase c10|content-inner||